Categoria Sopro no coração

porMarcilio

O que é o Prolapso de Válvula Mitral?

Prolapso de Válvula Mitral

Primeiro vamos dar umas noções básicas:

As válvulas do coração são quatro: Aórtica, Pulmonar, Tricúspide e Mitral.

Cada uma delas tem a função de deixar passar o sangue em apenas um sentido e quando ele tenta “voltar” elas se fecham.

É a mesma função de uma válvula de água comum, só que com o sangue. Lembra também a função da borracha de vedação das torneiras.

Quando os folhetos da válvula (a “borrachinha” da torneira) não se fecham muito bem, chamamos de Insuficiência e quando fecham mais do que deveria e dificultam a passagem do sangue no sentido normal, chamamos de Estenose.

Daí vem os nomes:
Insuficiência Aórtica
Insuficiência Pulmonar
Insuficiência Tricúspide
Insuficiência Mitral
e também:
Estenose Aórtica
Estenose Pulmonar
Estenose Tricúspide

Estenose Mitral

Finalmente, o prolapso de válvula mitral (PVM) ocorre quando um dos folhetos não se fecha muito bem, mas não quer dizer que tenha sopro, pode apenas fazer um “click” diferente na hora da válvula fechar. O problema é que os portadores desta síndrome, podem apresentar palpitações, arritmias ou falta de ar.

O PVM pode ser com ou sem insuficiência (com ou sem sopro), e só vamos nos preocupar se realmente tiver este sopro. Se tiver, basta um antibiótico para evitar infecção no sangue antes de qualquer cirurgia, e talvez umas aspirinas para “afinar” o sangue.

Em noventa por cento dos casos, o PVM não vai mudar nada na sua vida, não vai dar ataque do coração, nem atrapalhar para ter filho ou fazer ginástica.

O interessante é que a maior parte das pessoas CALMAS que tem o Prolapso, nunca descobre que o tem.

Mas a maioria das pessoas ANSIOSAS, descobre…Isso foi comprovado.
Aí eu pergunto: A culpa é da válvula ou da sua ansiedade? PENSE.

Dúvidas sobre o tratamento do seu filho?

Leia aqui um artigo do especialista em Cardiopatias Congênitas, Dr. Tarcísio.

Quer saber mais?

Primeiro, você tem que levar a pessoa a um cardiologista para ser examinado e fazer exames, incluindo Ecocardiograma.

Depois você tem que saber EXATAMENTE o NOME do TIPO de sopro de que está com dúvidas. Sim, existem dezenas deles e a minha bola de cristal ainda não chegou do Submarino.com.br.
Só e Somente depois, volte aqui e me pergunte suas dúvidas.
Recebo dezenas de perguntas de pessoas que ainda nem sabem o que têm. Por favor use o bom senso.
Se ainda tiver dúvidas, pergunte aqui.
porMarcilio

Cardiopatias Congênitas Para o Leigo

cardiopatias

As cardiopatias na infância, congênitas ou adquiridas, não são muito freqüentes na população geral; porém quando presentes, elas devem ser diagnosticadas precocemente de forma correta, para um tratamento correto, pois muitas vezes são graves e constituem risco de vida para a criança.

As cardiopatias são doenças que acometem o coração. Se a criança já nascer com um defeito no coração , dizemos que ela é portadora de uma Cardiopatia Congênita.

Porém se ela nascer sem defeito cardíaco e mais tarde apresentar  doença do coração, dizemos que ela é portadora de uma Cardiopatia Adquirida.

As doenças do coração podem ser detectadas nas crianças logo após o nascimento, em consulta pelo pediatra, em exame na escola para a realização de exercícios físicos ou mais tarde na adolescência.

Na maioria dos casos, o médico suspeita de cardiopatia na criança quando:

– Ausculta um sopro no coração

– Detecta cianose (extremidades arroxeadas, lábios roxos).

– Quando a criança cansa muito nas mamadas.

– Quando tem dificuldade de ganhar peso

– Quando gripa com muita facilidade ou está sempre tendo pneumonias.

Nem todo sopro no coração, significa presença de cardiopatia, muitas vezes crianças normais podem apresentar sopros no coração e nestes casos eles são chamados de “sopros inocentes”.

Alguns defeitos cardíacos podem ser resolvidos espontaneamente sem cirurgia, mas em muitos casos a criança necessita realizar uma cirurgia cardíaca e em alguns casos, mais de uma vez. Outras vezes, as cardiopatias nas crianças podem ser tratadas no cateterismo cardíaco, sem necessidade de cirurgia.

Alimentação:

Para que a criança com cardiopatia tenha um bom resultado no tratamento da doença, é necessária uma alimentação saudável, pois elas gastam mais energia que as crianças normais. Uma alimentação saudável ajuda e muito na recuperação da criança com cardiopatia, no caso de uma cirurgia ou infecção.

Para o lactente, o melhor alimento é o leite materno que contém todos os nutrientes que elas precisam para crescerem bem e com saúde.

Nas crianças com cardiopatia, o aleitamento materno deve ser realizado com a criança semi-sentada no colo da mãe, pois nesta posição ela deglute e respira com mais facilidade. As crianças que não fazem uso de leite materno podem fazer uso de outro leite, de preferência com a orientação do médico pediatra para o melhor tipo de leite para aquela criança.

Não existe leite específico para a criança com cardiopatia.

As crianças maiores, devem realizar uma alimentação a base de leite, cereais, vegetais, frutas, carnes e ovos.

O leite é uma fonte importante de cálcio, mineral de grande importância para o crescimento ósseo das crianças.

As crianças portadoras de cardiopatias devem evitar consumir alimentos muito salgados ou ricos em gorduras, porque estes alimentos podem levar a piora da cardiopatia (as crianças podem apresentar inchação no corpo). Procure oferecer alimentos ricos em ferro, tais como: carnes vermelhas, fígado, feijão e vegetais verde-escuros, pois eles evitam anemia que é muito prejudicial para estas crianças com cardiopatias.

Medicamentos:

Quanto aos medicamentos para o coração, os mesmos devem ser administrados antes das refeições, com um pouco de líquido, com a criança  semi-sentada ou em pé, para evitar que ela vomite. Se vomitar, não repita a dose. Dê preferência em usar uma seringa descartável para dar o medicamento. É mais fácil para a dosagem correta.

Tratamento dos dentes:

Para evitar infecções no coração das crianças com cardiopatias, os cuidados com os dentes são de suma importância, pois a cavidade bucal é rica em bactérias que podem circular na corrente sanguínea e localizar nos defeitos do coração causando infecções graves, chamadas Endocardite.

As crianças devem ser levadas regularmente ao dentista a cada 6 meses.

Vacinação:

A cardiopatia da criança NÃO impede a vacinação. Deve evitar aplicá-las apenas quando a criança estiver com alguma infecção.

Esporte e Escola:

As crianças com cardiopatia podem freqüentar normalmente a escola e realizar esportes de acordo com o tipo de cardiopatia que possui, porém é importante a orientação do médico da criança sobre o que ela pode ou não realizar.

Quando o diagnóstico e o tratamento da cardiopatia nas crianças são realizados no tempo adequado, pode permitir a ela a cura da cardiopatia ou a melhora da qualidade de vida, permitindo a ela se tornar um adulto com famílias constituídas e úteis a sociedade.

Dr. Tarcisio Luiz Valle de Almeida

Médico da Seção de Cardiopatias Congênitas do Instituto “Dante Pazzanese” de Cardiologia
Endereço: Av. Dr. Dante Pazzanese, 500 – Ibirapuera – São Paulo – SP
CEP 04012/380

Quer saber mais?
Pergunte aqui!

porMarcilio

O que é a Persistência do Canal Arterial?

 
 
É como um “atalho” que o sangue usa enquanto o bebê ainda está no útero e precisa receber sangue com oxigênio da mãe, pela placenta. Deveria fechar no nascimento, mas pode permanecer.
 
A correção é muito simples, e apesar de ser por cirurgia cardíaca, tem pouquíssima chance de problemas. É como cortar um tubo e costurar as pontas.
%d blogueiros gostam disto: